Última hora

Última hora

A sucessão de Fidel Castro

Em leitura:

A sucessão de Fidel Castro

Tamanho do texto Aa Aa

Fidel tinha prometido: nada faria parar a revolução, nenhum país nem a própria morte. E parece que vai cumprir. Mas será que aquilo que manteve com mão de ferro e carisma vai sobreviver ao seu desaparecimento? Por enquanto, é um Castro que sucede a Castro. Raul, cinco anos mais novo, com 75, preparou-se há muito para pegar as rédeas do poder.

Desde as primeiras horas da revolução, Raul esteve sempre por perto, tanto à sombra do líder como nas luzes da ribalta, consoante a vontade de Fidel. Fidel avisou sempre: depois dele, “é Raul quem tem mais experiência”.

Raul apreendeu bem a lição. Cabe-lhe assegurar a continuação e defender a ideologia. Ele mesmo o afirmou, reconhecendo que ia deter a autoridade, assim como outros companheiros, mas de facto, essa (autoridade) pertencia ao partido. Há outros que podem suceder a Fidel. É o caso de Felipe Peres Roque, o jovem ministro dos Negócios Estrangeiros, antigo secretário particular do comandante, ou Carlos Lage, o tecnocrata das reformas económicas, actual vice-presidente do Conselho de Estado.

No entanto, é Ricardo Alarcon quem está numa posição de relevo. É o presidente da Assembleia Nacional Popular e é o defensor, sem hesitações, da linha oficial delineada por Fidel Castro. Aconteça o que acontecer no futuro imediato, é o longo prazo que suscita dúvidas.

O director do Instituto Cubano, responsável pelos estudos cubanos da Universidade de Miami, Jaime Suchilicki explica a situação: “Castro, nestes últimos anos, tem preparado o irmão, que é o segundo na linha de comando, para lhe suceder, deu mais poder aos militares e mais poder às estruturas partidárias para controlarem o poder quando morrer. Ele concebeu a revolução para perdurar para além da sua morte, e mesmo da de Raul Castro. Assim, o que temos é uma sucessão rápida, fácil, para uma lenta e difícil transição”.

Fidel sobreviveu a tudo, de 13 administrações norte-americanas, à queda do comunismo, sem fazer nunca qualquer concessão ao capitalismo. Dizem que Raul é mais curioso em relação ao que o rodeia. Só a morte do comandante pode revelar os trunfos de uns e de outros.