Última hora

Última hora

Cessar-fogo no Médio Oriente depende de presença de força internacional

Em leitura:

Cessar-fogo no Médio Oriente depende de presença de força internacional

Tamanho do texto Aa Aa

Apesar das pressões da comunidade internacional, o primeiro-ministro israelita, Ehud Olmert, voltou a reiterar a intenção de continuar a ofensiva contra o Hezbollah até que uma força internacional chegue à região. Olmert referiu que está “pronto para um cessar-fogo e para tal a força internacional não precisa de estar pronta, basta apenas que ele esteja estacionada, o que é completamente diferente”.

Para o primeiro-ministro israelita, “a força internacional deve ser constituída de países que se preocupam sinceramente com a mudança nesta região do mundo” e considera a França como “um candidato natural e muito outros países europeus”, como a Grã-Bretanha, ou a Itália.

Emile Lahoud, o presidente libanês, não vê a chegada de uma força internacional com o mesmo optimismo. Para o chefe de Estado, “vai haver um Kosovo no Líbano, com os franceses que vão querer ter a sua influência, os americanos… e estes países já estiveram no Líbano em 1982 e o que é que aconteceu??? Houve uma guerra”.

Emile Lahoud defende qualquer força internacional que chegue à região deve vir sob a tutela das Nações Unidas.