Última hora

Última hora

Guerra causa penúria energética e maré negra

Em leitura:

Guerra causa penúria energética e maré negra

Tamanho do texto Aa Aa

Uma maré negra atinge actualmente as costas da estância balnear de Biblos, a Norte de Beirute. Após a destruição da central eléctrica de Jyieh, 10 a 15 mil toneladas de crude foram derramadas para o mar, criando uma maré negra que atinge oitenta quilómetros de costa libanesa e fazendo fugir os turistas.

Adel Tawile, gerente de hotel, diz:
“Passámos vinte anos em guerra e depois dez anos a reconstruir. Agora é a destruição total das infra-estruturas. As pessoas estão consternadas.”

A destruição originada por três semanas de conflito está avaliada em cerca de dois mil milhões de euros. Poucas infra-estruturas, reconstruídas após o final da guerra civil, foram poupadas pelos bombardeamentos israelitas. A situação em Beirute fez com que algumas empresas da capital fossem deslocadas para subúrbios considerados mais seguros.

Uma funcionária da empresa de informática Murex desabafa: “Não estamos muito longe, mas esperamos ser poupados, não sei o que vai acontecer, mas psicologicamente sinto-me mais segura.”

Entretanto, após um bloqueio marítimo de mais de três semanas, o Líbano enfrenta uma situação de penúria energética. Os combustíveis estão a ser racionados, mas o primeiro-ministro Fuad Siniora advertiu para a necessidade de um rápido reabastecimento sob pena do país ficar sem carburantes no espaço de uma semana.