Última hora

Última hora

Bélgica recorda mineiros mortos há 50 anos

Em leitura:

Bélgica recorda mineiros mortos há 50 anos

Tamanho do texto Aa Aa

A maior catástrofe mineira da Bélgica ocorreu há 50 anos. 262 homens perderam a vida, a grande maioria eram imigrantes, nomeadamente italianos. A tragédia da mina Bois du Cazier, em Marcinelle, perto de Charlesroi, foi recordada esta terça-feira. No dia 8 de Agosto de 1956, pouco depois das oito da manhã, um acidente com um vagão provocou a catástrofe. Um erro de manipulação, um elevador em corrida desenfreada poço abaixo, condutas de óleo e cabos eléctricos arrancados e no fundo, a mais de mil metros, 269 homens.

As buscas durariam duas semanas com os familiares dos mineiros encurralados a rezarem por um milagre. Mas no dia 23 de Agosto os socorristas deram por terminadas as buscas. “Todos mortos” diria um deles. Para um dos sobreviventes este foi um dia inesquecível: “Mesmo à noite, quando durmo, ainda penso nos meus companheiros. Depois acordo… eles permanecem dentro de mim.” 50 anos depois os familiares das vítimas continuam a denunciar as condições de trabalho da época: “O que sucedeu naquele dia não pode voltar a acontecer. Eles não eram operários, eram escravos.

A mina fechou onze anos depois. A tragédia esteve na origem do reforço das normas de segurança mineira na Bélgica e por toda a Europa. Milhares de pessoas estiveram presentes nestas cerimónias de homenagem que começaram na segunda-feira à noite. Actualmente o local é um museu dedicado ao passado mineiro da região.