Última hora

Última hora

Ehud Olmert exige a Beirute que combata o Hezbollah

Em leitura:

Ehud Olmert exige a Beirute que combata o Hezbollah

Tamanho do texto Aa Aa

Israel chama os seus soldados a casa e, desde esta manhã, há sinais de vitória nas fileiras israelitas. Depois de 34 dias na frente de batalha
a aplicação do cessar-fogo decretado pela resolução da ONU permite aos militares regressar sãos e salvos, uma alegria amplamente demonstrada.
No Parlamento, o primeiro-ministro israelita reafirmou a intenção de se defender dos ataques do Hezbollah onde quer que ele esteja, deixando assim claro aquilo a que chama “o seu direito de auto-defesa em caso de ataque”.
Ehud Olmert avisou Beirute que “um Estado como o Líbano não pode consentir nem acolher um grupo terrorista”, referindo-se às milícias xiitas, aproveitando para responsabilizar o governo
libanês por tudo o que se passa no seu território.
O chefe do governo israelita declarou que assumirá também as suas responsabilidades pelas decisões tomadas nesta guerra.
A trégua em vigor desde está de forma geral a ser respeitada apesar de notícias de troca de tiros entre milícias do Hezbollah e militares israelitas já depois do anúncio do cessar-fogo.
Ambos os lados reivindicam vitória. As bandeiras do Líbano e do grupo xiita são exibidas pelos soldados israelitas como troféus de guerra.