Última hora

Última hora

União Europeia tenta resolver o puzzle da força a enviar para o Líbano

Em leitura:

União Europeia tenta resolver o puzzle da força a enviar para o Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

Os embaixadores dos Vinte e Cinco Estados membros da União Europeia vão reunir-se, esta tarde, em Bruxelas, para examinar a composição do contingente europeu a enviar para o Líbano. A Alemanha exorta à unidade europeia na força de paz a enviar para o Líbano. “A Europa tem de agir unida e ir além da contribuição prometida por Itália, por nós próprios ou pela Espanha e pela França”, afirmava Franz Josef Jung, ministro alemão da Defesa, numa entrevista hoje publicada pelo jornal italiano La Repubblica.

A Itália ofereceu-se para contribuir com três mil homens, para o contingente europeu que deverá reforçar a força da ONU no terreno, propondo-se assumir o seu comando. Uma missão difícil, considera o comandante Franco Angioni, que liderou a força de manutenção de paz no Líbano em 1982: “Interferir nas exigências do governo libanês, onde e como manter a ordem pública face a uma população do Sul que está provavelmente exasperada pelo que aconteceu… participar numa acção militar deste tipo é extremamente perigoso”.

Esta manhã, para ver com os próprios olhos a devastação no terreno, a ministra grega dos Negócios Estrangeiros visitou o que resta dos subúrbios do Sul de Beirute. A Grécia assume em Setembro a presidência do Conselho de Segurança da ONU.