Última hora

Última hora

Damasco e Beirute recusam FINUL na fronteira sírio-libanesa

Em leitura:

Damasco e Beirute recusam FINUL na fronteira sírio-libanesa

Tamanho do texto Aa Aa

O Líbano e a Síria recusam o estacionamento de tropas internacionais ao longo da fronteira entre os dois países. Apenas Israel está a fazer pressão para que os soldados da FINUL patrulhem a região, no sentido de evitar o tráfico de armas via Síria. As autoridades de Damasco ameaçam fechar a fronteira com o Líbano se a comunidade internacional continuar a ceder à vontade do governo hebraico.

O presidente sírio, Bachar al-Assad, diz que se trata da “violação da soberania libanesa e um acto hostil contra a Síria iria obrigatoriamente trazer problemas sérios para o Líbano”. Quer isto dizer que em caso de encerramento da fronteira, o Líbano ficaria totalmente isolado. As autoridades querem evitar essa situação. O primeiro-ministro Fouad Signiora considera ser necessário uma aprovação do conselho de ministros para que a FINUL fique estacionada na fronteira com a Síria.

As organizações humanitárias continuam entretanto no terreno. A prioridade é dar abrigo a cerca de 30 a 40 por cento dos libaneses que ficaram sem casa. Ao que tudo indica, nesta altura serão necessários cerca de 110 milhões de dólares em donativos. A Human Rights Watch e a Amnistia Internacional acusam israel de ter violado a lei internacional ao bombardear zonas civis.