Última hora

Última hora

Roma confirma envio de 2.500 militares para o Líbano

Em leitura:

Roma confirma envio de 2.500 militares para o Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

A Itália vai contribuir com dois mil e quinhentos homens para o reforço da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (FINUL), número confirmado por fontes governamentais. Cinco navios deverão partir amanhã transportando os militares em direcção a Naqura, onde se encontra o quartel-general da FINUL. A força de manutenção da paz deverá garantir a aplicação da resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, ponto frisado pela ministra israelita dos Negócios Estrangeiros, em visita à Alemanha.

Tzipi Livni sublinhou que “o papel da força internacional é ajudar o governo libanês e também implementar – de uma forma completa e rápida – a resolução 1701, que inclui a mobilização do exército libanês para o Sul do Líbano e a aplicação do embargo às armas para evitar o rearmamento do Hezbollah no futuro”.

Para o presidente francês, a comunidade internacional não se deve contentar com a paz entre o Líbano e Israel, mas estender o processo a todo o Médio Oriente.

Em Paris, Jaques Chirac disse que “se impõe a necessidade do relançamento imediato do processo diplomático” e apelou “a uma reunião urgente do Quarteto”, integrado pela ONU, União Europeia, Estados Unidos e Rússia.

A França, que vai dirigir a FINUL até Fevereiro de 2007, contribuirá com a mobilização de dois mil homens para o Sul do Líbano. Sem avançar números, a Turquia também já decidiu participar no reforço da força internacional.