Última hora

Última hora

Olmert admite falhas na guerra e cria comissão de inquérito

Em leitura:

Olmert admite falhas na guerra e cria comissão de inquérito

Tamanho do texto Aa Aa

Pela primeira vez Ehud Olmert admitiu terem existido falhanços na guerra contra o Hezbollah e anunciou a criação de um comissão inquérito com poderes alargadas para analisar “a conduta do governo durante o conflito e todos os aspectos que forem necessários”. Numa conferência de imprensa em Haifa, o primeiro-ministro israelita referiu que a comissão vai ser liderada por Nahoum Admoni, um antigo chefe da Mossad, os serviços secretos. Fica, assim, colocada de parte a abertura de uma comissão de inquérito estatal independente, que poderia provocar demissões no governo e embaraços nas chefias militares.

De acordo com Olmert, as forças armadas, que chegaram mesmo a sofrer críticas internas – como falta de preparação logística -, vão abrir um inquérito próprio. Esta decisão de Olmert deverá gerar a crítica da opinião pública que tem reclamado uma investigação séria à guerra que durou mais de um mês. Inicialmente, os dirigentes israelitas eram da opinião de que o conflito apenas iria durar alguns dias. Olmert salientou que a decisão de entrar em guerra foi exclusivamente sua.