Última hora

Última hora

Militares italianos ocupam posição no sul do Líbano

Em leitura:

Militares italianos ocupam posição no sul do Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

Este fim-de-semana, 880 militares italianos chegaram ao Líbano para integrarem a FINUL reforçada.
O contingente italiano vai deslocar-se para o Sul do país, onde deverá levar a cabo a missão prevista na resolução 1701 que pôs fim a 34 dias de conflito entre Israel e o Hezbollah.
A Itália comprometeu-se a enviar 2500 homens. É o maior contingente da força da ONU que deverá integrar 15 mil efectivos.
Entretanto, 200 militares franceses dirigem-se já por via marítima para o Líbano. Um batalhão de 900 soldados, dos 2000 homens prometidos por Paris, deverá estar operacional ainda durante a primeira quinzena de Setembro.

O comandante da força multinacional, o francês Alain Pellegrini, visitou esta segunda-feira o campo temporário onde se encontram instalados os soldados italianos.
O responsável sublinhou que o destacamento italiano vai ocupar posiões entre o rio Litani e a fronteira, uma zona que antes não estava coberta pela FINUL 1.
Segundo a mesma fonte, o plano de retirada de Israel do sul do território libanês está quase pronto. As autoridades do Líbano estão cada vez mais exasperadas pla lentidão deste processo e pela manutenção do bloqueio naval e aéreo israelita.
Além de assegurar a paz, os capacetes azuis da ONU apoiam também os trabalhos de reconstrução das infra-estruturas libanesas.