Última hora

Última hora

Blair contra a delinquência juvenil

Em leitura:

Blair contra a delinquência juvenil

Tamanho do texto Aa Aa

O mau comportamento dos jovens é um problema que o Reino Unido não consegue resolver. Vandalismo, agressões filmadas e transmitidas em directo por telemóvel, avançado estado de alcoleemia na via pública, roubos, comportamentos anti-sociais de todo o género, que se elevam a 66 mil por dia – um a cada dois segundos. Anualmente, cerca de 200 mil menores são presentes ao juíz, um em cada dois é processado. Desde a sua chegada ao poder que Tony Blair prefere a política do pauzinho com a cenoura para erradicar este mal social, só que isso não tem tido sucesso.

Em 1999, os trabalhistas criaram a Ordem do Comportamento Anti-Social – ASBO. Sem alcance penal e sem efeito no registo criminal,dá poder a um juiz ou a um autarca para aplicar sanções de todo o tipo. Esta Ordem limita a liberdade de movimento de indivíduos com comportamentos anti-cívicos. Não é por acaso que depois de 1999, a metade dos abusos registados se referiram a menores.

Paralelamente, os governos trabalhistas fizeram grandes esforços orçamentais para atacar a raiz do problema, lutando contra a exclusão social e investindo na educação. Isto, apesar de uma taxa de crescimento sustentada e uma taxa de emprego nos 5,5 por cento.

O Reino Unido tem uma taxa de pobreza infantil das mais elevadas dos países ricos. Com 15,4 por cento de crianças em lares com 50 por cento de rendimentos abaixo da média nacional. Portugal não anda longe, com 15,6 por cento e Espanha, abaixo, com 13,3 por cento.

O Reino Unido é o país com maior taxa de gravidez na adolescência na Europa Ocidental, o que faz crescer ainda mais os riscos de pobreza infantil. Esta é aliás, uma causa de mal estar social, como consideram os peritos. O governo quer acabar com a delinquência juvenil até 2020.