Última hora

Última hora

Cinco membros do governo britânico demitem-se, Blair pede união entre os trabalhistas

Em leitura:

Cinco membros do governo britânico demitem-se, Blair pede união entre os trabalhistas

Tamanho do texto Aa Aa

Tony Blair enfrenta uma enorme pressão para deixar o cargo e perante as demissões anunciadas esta quarta-feira enviou uma carta aos colegas trabalhistas a alertar para o perigo de divisões no seio do partido.

Ao contrário do que se esperava, o chefe de governo britânico não tenciona abandonar as funções à frente do executivo, mas a imprensa não pára de avançar datas para a partida. O jornal the SUN garante que Tony Blair sai em Maio de 2007.

Downing Street recusa-se a confirmar a data. O congresso trabalhista é já a 24 de Setembro.

Na terça-feira, foi apresentado o plano para acabar com a delinquência juvenil na Grã-Bretanha, esta quarta-feira houve uma chuva de demissões.

O primeiro foi Tom Watson, o sub-secretário de Estado da Defesa, o mais alto cargo da pasta, a abandonar o executivo.

O antigo secretário de Estado, David Blunkett, considera que só pode haver um primeiro-ministro de cada vez.

Blunkett refere-se a Tony Blair a Gordon Brown, o maior rival do ainda líder trabalhista e que é o mais apontado para a sucessão.

Esta quarta-feira, pediram a demissão cinco membros do governo, no total, devido ao que consideram de incapacidade de Blair em colocar um ponto final nas incertezas sobre a saída do cargo.