Última hora

Última hora

PE não quer misturar combate à violência doméstica e luta contra a droga

Em leitura:

PE não quer misturar combate à violência doméstica e luta contra a droga

Tamanho do texto Aa Aa

Combater a violência contra mulheres, jovens e crianças. Esta é a razão de ser do programa comunitário Daphné e assim deve continuar. Isto mesmo defendem eurodeputados, que não querem misturar o Daphné com a luta contra a toxicodependência, como propunha a Comissão Europeia. Criado em 1997, o programa já financiou 350 projectos de prevenção e combate à violência. Para o futuro, os eurodeputados defendem a abertura do programa a países externos à União Europeia – como os da Ásia Central ou África, Caraíbas e Pacífico.

O Parlamento Europeu (PE) quer promover o “Ano Europeu de Combate à Violência contra as Mulheres” e estabelece como meta, para os próximos dez anos, a redução para metade do número de vítimas de violência e de tráfico de seres humanos. No Daphné III, os eurodeputados propõem que ONG e grupos de auto-assistência sejam incentivados a participar cada vez mais.