Última hora

Última hora

PM turco enfrenta contestação pelo envio de tropas para o Líbano

Em leitura:

PM turco enfrenta contestação pelo envio de tropas para o Líbano

Tamanho do texto Aa Aa

Largas centenas de pessoas manifestaram-se em Ancara contra a contribuição militar da Turquia no Líbano no seio da FINUL.

Trata-se do segundo dia de protestos, depois de o chefe de governo anunciar o envio de tropas para o território.

Na terça-feira, o parlamento aprovou por maioria a decisão do primeiro-ministro, mas a oposição juntou-se, votou contra, e a contestação nas ruas não se fez esperar.

Os protestos coincidem com a visita de Kofi Annan, o secretário geral das Nações Unidas, à Turquia, o país com o segundo maior exército da NATO, para definir as condições de participação dos soldados no âmbito da missão da ONU no Líbano.

O primeiro-ministro Tayyip Erdogan considera que o país tem uma forte tradição histórica e humanitária no Médio Oriente e por isso aceitou o pedido das autoridades libanesas e da ONU.

As autoridades turcas pretendem enviar 1000 soldados para reforçar a FINUL. Ao que tudo indica, terão funções humanitárias e logísticas, e deverão contribuir também com meios navais para patrulhar as águas libanesas.

Pressões do partido conservador levaram Erdogan a prometer que as tropas libaneses saem do território se forem obrigadas a desarmar o Hezbollah.