Última hora

Última hora

Trabalhistas pressionam Blair para sair

Em leitura:

Trabalhistas pressionam Blair para sair

Tamanho do texto Aa Aa

Os rumores em torno da partida de Tony Blair assumem contornos cada vez mais palpáveis. Na edição de hoje do The Sun, aponta-se a data de 31 de Maio de 2007 para Blair deixar a liderança dos Trabalhistas, após o que se retira do cargo de primeiro-ministro. Boatos que Downing Street recusa confirmar. Porém, alguns ministros indicam que a partida deverá ocorrer no prazo máximo de um ano a tempo do congresso anual do Labour em 2007. Pelo meio, poderá ficar uma digressão de despedida, planificada ao milímetro. Para o deputado trabalhista Nick Raynsford, “o legado de Blair está garantido. Não é necessário engendrar uma estratégia de satisfação antes da partida. Isso é até absurdo”.

Um grupo de oitenta deputados do Labour está disposto a pedir publicamente a Blair que clarifique a situação, apesar das reticências do primeiro-ministro em apontar uma data para a saída. Charles Clarke, antigo ministro do governo trabalhista: “Acho que Blair devia tomar uma decisão. Sempre fui da opinião que quanto mais tempo ficasse, melhor, mas ele tem de decidir quais são as circunstâncias e trabalhar nessa base.”

Em 2005, após a terceira vitória consecutiva, Tony Blair anunciou que seria o último mandato em Downing Street. Porém, apenas prometeu sair largamente a tempo de garantir uma transição ordenada no seio do Labour antes das eleições de 2009.