Última hora

Última hora

Volkswagen e sindicatos discutem remodelação

Em leitura:

Volkswagen e sindicatos discutem remodelação

Tamanho do texto Aa Aa

A Volkswagen está em negociações com os sindicatos, patra tentar chegar a um acordo sobre a política de redução de custos que a construtora automóvel alemã quer desenvolver. O mais difícil vai ser convencer os trabalhadores das províncias ocidentais alemãs, os que têm mais regalias, a aumentar a carga horária semanal.

A administração diz que a actual situação obriga a medidas exemplares. “O carro mais importante da volkswagen, o Golf, está no vermelho, o que significa que o mundo Volkswagen não está bem. Por isso, temos que trabalhar juntos para resolver as coisas. Os sindicatos e representantes dos trabalhadores compreendem este ponto de vista da administração”, diz o gestor de recursos humanos, Horst Neumann.

Os sindicatos não aceitam um aumento das horas de trabalho sem uma compensação. Outra exigência é a garantia de produção de novos modelos na Alemanha.

Hartmut Meine, do sindicato IG Metall, diz que “espera promessas concretas por parte da administração, que digam respeito às seis fábricas alemãs, aos produtos, ao investimento e à eficiência, para salvaguardar os actuais postos de trabalho para além de 2011, altura em que termina o actual pacto”.

O objectivo da administração é triplicar os lucros até 2008. O resultado líquido do grupo caíu bruscamente, para menos de metade, de 2002 para 2003, altura em que foi de mil milhões de euros. Desde então, tem oscilado em torno desse valor. Para este ano, prevê-se um lucro de 1,6 mil milhões.

Actualmente, os trabalhadores da Volkswagen, sobretudo os que trabalham nas províncias da antiga Alemanha Ocidental, têm regalias que não têm comparação com as outras construtoras automóveis da Europa, e um salário bastante superior.