Última hora

Última hora

Reeleição de Djukanovic é a última prova que o Montenegro quer avançar em direcção à Europa

Em leitura:

Reeleição de Djukanovic é a última prova que o Montenegro quer avançar em direcção à Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Os montenegrinos provaram que o país está firme a caminho da Europa ao reeleger o primeiro-ministro Milo Djukanovic. O líder agradeceu a confiança dos eleitores classificando a vitória de “mais um triunfo das políticas europeias”. As projecções mostram que a coligação centro-esquerda daquele que é o símbolo da independência da Sérvia, ganhou por 50%, conseguindo 41 lugares no parlamento e deixando as três formações da oposição com pouco mais do que 10 assentos cada.

Os resultados parciais revelam, no entanto, que nesta república do adriático, a divisão étnica tem ainda um papel importante. Com apenas 43% da população a afirmar-se montenegrina e 32% servia, os restantes 25% consideram-se bósnios ou albaneses. No entanto, a principal formação sérvia, hostil à independência parece ter perdido terreno. Todos os partidos de oposição centraram as respectivas campanhas no tema do desenvolvimento económico, mas nenhum propôs renunciar à independência.