Última hora

Última hora

A citação de Bento XVI que originou polémica

Em leitura:

A citação de Bento XVI que originou polémica

Tamanho do texto Aa Aa

Foi esta terça-feira, na Universidade de Regensburg, aquando da visita de Bento XVI à Alemanha, que tudo começou. Perante uma plateia de académicos, intelectuais e teólogos, o Papa citou uma frase do diálogo entre um imperador bizantino do século catorze e um erudito muçulmano persa. Uma citação que deixou os muçulmanos germânicos revoltados, eles que até agora estavam optimistas em relação ao papado de Bento XVI. Ao citar o imperador, Ratzinger leu: “Mostra-me o que Maomé trouxe de novo. Tu não encontras senão coisas diabólicas e desumanas, como a ordem para espalhar a fé através da espada”.

Bento XVI escolheu a Baviera natal para revelar o seu pessimismo em relação ao mundo ocidental que descreve como vazio da fé cristã e incapaz de dialogar com as outras culturas, enquanto que a religião muçulmana se afirma sem complexos. Um discurso denso, não muito politicamente correcto e que ofendeu os muçulmanos, obrigando o chefe da sala de imprensa do Vaticano, Frederico Lombardi, a dar explicações.

“Com certeza que não foi intenção do Papa fazer um estudo sobre as ideias da Jihad ou dos muçulmanos e muito menos ofender as sensibilidades da fé islâmica. Pelo contrário, o que ressalta do discurso do Santo Padre é um aviso, enviado à cultura ocidental, para evitar o desprezo por Deus e o cinismo que consiste em troçar do sagrado para exercer a liberdade.”

Mas além de ser um líder espiritual o Papa é também um chefe de Estado. O seu discurso provocou reacções por parte dos chefes religiosos muçulmanos e pode também prejudicar a diplomacia do Vaticano. Esta sexta-feira o presidente dos assuntos religiosos turcos, Ali Bardaloglu, não deixou passar em claro a declaração. “Não acredito que haja algum benefício em receber a visita de alguém que pensa isso do Islão, do que é sagrado no Islão e do seu profeta.” O Papa vai à Turquia no final de Novembro. Uma primeira visita a um país de maioria muçulmana já marcada pela polémica.