Última hora

Última hora

Noite Branca

Em leitura:

Noite Branca

Tamanho do texto Aa Aa

Na madrugada, Madrid inaugurou as Noites Brancas, iniciativa cultural que nasceu em Paris em 2002 e já foi adoptada por Bruxelas e Roma. Na capital espanhola, cerca de 280 instituições culturais deixaram as portas abertas até às 3 da manhã; e a maior afluência registou-se nos museus do Prado e Thyssen, Palácio de Linares, Palácio de Cristal, na Bolsa e no Banco de Espanha, Biblioteca Nacional e várias ruas, onde actores e músicos conseguiram manter um público fiel e bem-disposto, durante as actuações.

Tal aconteceu na Praça de Espanha, Cibelles, zona do Retiro, Porta de Alcalá e as ruas Fuencarral, Huertas, Jardim Botânico e até no estádio Santiago Bernabéu, onde se realizou um espectáculo de circo de hora e meia. As críticas a esta iniciativa, pioneira em Madrid, vão para a pouca divulgação dos acontecimentos nos locais e o trânsito excessivo nas ruas.