Última hora

Última hora

PM britânico despede-se do Labour

Em leitura:

PM britânico despede-se do Labour

Tamanho do texto Aa Aa

Tony Blair foi acolhido com uma ovação pelos delegados do Partido Trabalhista na sua última intervenção num conclave enquanto primeiro-ministro. O chefe do Labour, que se apresta a deixar a cadeira do poder, agradeceu ao partido a mobilização que permitiu vencer eleições e aplicar o seu programa. Mas sobretudo, agradeceu ao povo britânico. “Não apenas pela honra de ser primeiro-ministro” mas pelo que qualificou de “viagem do progresso realizada em conjunto”.

Depois, confessou que esta é a última conferência enquanto líder e que estava a ser “duro” partir.

Tony Blair fez um balanço da actividade dos seus governos durante quase uma década e deixou conselhos aos próximos dirigentes. O mundo mudou em dez anos e os desafios são outros. Dependência energética e aquecimento do planeta; terrorismo, segurança e liberdade, questões complexas que necessitam de decisões.

O primeiro-ministro elogiou Gordon Brown e disse que o Labour “nunca teria ganho três eleições consecutivas” sem a sua contribuição. E, sublinhou, “essa é a verdade”… uma alusão à controvérsia surgida durante a manhã. De acordo com a imprensa britânica, Cherie Blair, teria chamado mentiroso a Brown por causa do elogio que ontem fez a Blair. Polémica encerrada, o chefe do executivo britânico terminou o discurso afirmando que estaria sempre, “de alma e coração”, com o Partido Trabalhista.