Última hora

Última hora

Extrema direita sobe nas intenções do voto dos belgas

Em leitura:

Extrema direita sobe nas intenções do voto dos belgas

Tamanho do texto Aa Aa

O nacionalismo e a imigração voltam à superfície com as eleições municipais na Bélgica. Dois assuntos no topo da agenda do Vlaams Belang, o partido nacionalista flamengo, de extrema direita. Os resultados cada vez mais espectaculares colocaram-no à frente dos seus congéneres europeus. O seu líder, Filip Dewinter, ataca directamente a imigração um dos seus temas preferidos: “ nós estamos na dianteira de uma mensagem política clara: eles têm que ter em conta os interesses da maioria silenciosa dos autóctones europeus, que sofrem com o aumento da imigração ilegal, com o aumento da criminalidade e com o politicamente correcto”, afirma.

Colocado à margem do poder, particularmente em Antuérpia, pelos outros partidos, devido ao seu discurso xenófobo, o Vlaams Belang reivindica abertamente a independência da Flandres. Uma questão que coloca sérios problemas à unidade da Bélgica, onde as duas principais comunidades linguísticas, flamengos e valões têm cada vez mais dificuldades em entender-se.

Na Valónia fala-se francês. O presidente da região e também presidente da câmara de Mons, Elio Di Ruppo, defende o sistema federal belga, mas gaurdando a unidade nacional: “Alguns líderes flamengos querem fazer da Flandres um país, não querem apenas ter as comunas francófonas à volta de Bruxelas, mas querem também Bruxelas. Só que em Bruxelas 90% das pessoas falam francês. Claro que a Valónia nunca vai desistir de Bruxelas, há uma solidariedade francófona”.

Do lado flamengo, acusam-se os franceses que habitam à volta de Bruxelas, portanto na Flandres, de não quererem integrar-se, como diz o presidente da Flandres, o democrata-cristão Yves Leterme: O que tenho vindo a dizer é que actualmente os francófonos não estão integrados. Continuam a falar francês e recusam-se a aprender flamengo. Por isso, ou não são intelectualmente capazes, ou não querem aprender”. As eleições são no domingo. O político mais popular da Flandres poderá assim contentar alguns eleitores do Vlaams Belang este domingo.