Última hora

Última hora

Socialista Patrick Janssens consegue suplantar extrema-direita em Antuérpia

Em leitura:

Socialista Patrick Janssens consegue suplantar extrema-direita em Antuérpia

Tamanho do texto Aa Aa

Patrick Janssens conseguiu ser reconduzido como presidente da Câmara de Antuérpia, contendo a progressão da extrema-direita. Nas eleições municipais de ontem, os socialistas flamengos foram mesmo a força política mais votada na segunda maior cidade da Bélgica, ao passarem de 20% para 35% dos sufrágios.

A cerca de nove meses das legislativas e com o debate sobre a transferência de competências para as regiões agendado também para o próximo ano, as divisões entre Flandres e Valónia foram particularmente acentuadas durante a campanha.

Uma situação que beneficiou os Democratas-cristãos flamengos, ao mesmo tempo que penalizava os Liberais-Democratas do primeiro-ministro Guy Verhofstadt. No caso do Vlaams Belang, a estagnação nas grandes cidades escondeu uma progressão importante em municípios de dimensões mais reduzidas.

Ainda assim, em Antuérpia, apenas 10 mil votos separaram Filip Dewinter do adversário socialista.

“Foi a enchente com o voto dos imigrantes que, pela primeira vez, tiveram o direito de votar. Houve o código de nacionalidade muito brando e o direito de voto para os imigrantes. Isto permitiu, apesar de tudo, a algumas dezenas de milhares de imigrantes votar em Antuérpia pela esquerda e não pelo Vlaams Belang. Isso é certo.”

A estreia dos não-comunitários residentes na Bélgica a votar em eleições municipais não teve, no entanto, o impacto exposto pelo líder do partido xenófobo flamengo.

A nível nacional, apenas 17 mil estrangeiros se recensearam para este escrutínio e, entre comunitários e extra-comunitários, os votantes não chegavam a 2 % do eleitorado.