Última hora

Última hora

Airbus pode despedir 10.000 trabalhadores

Em leitura:

Airbus pode despedir 10.000 trabalhadores

Tamanho do texto Aa Aa

A substituição de Christian Streiff por Louis Gallois à frente da Airbus está já a fazer notar-se, com notícias de uma forte redução no quadro. O novo homem-forte, que acumula o cargo com o de co-presidente executivo da casa-mãe, anunciou que haveria despedimentos na construtora.

Um jornal económico francês fala em 10.000 supressões de postos de trabalho, mas um porta-voz da construtora aeronáutica disse já que era prematuro falar em números. Christian Streiff tinha um plano de economia de custos para a Airbus, que faria a Airbus poupar dois mil milhões de euros por ano. No entanto, deixou a empresa antes da discussão desse plano.

A Airbus, fundada em 1970, está a passar pela mais grave crise de sempre. A empresa entregou, até agora, 4450 aviões. Emprega actualmente 55.000 pessoas e teve, em 2005, uma facturação de 22,3 mil milhões de euros. Streiff saíu da Airbus por estar em conflito permanente com a administração da casa-mãe. Os sindicatos temem as consequências da nova política.

“O plano quer racionalizar os locais de produção e implica cortes nos custos, cortes na força de trabalho e uma redução da estrutura. Temos medo destes objectivos que foram sugeridos, primeiro, por Noel Forgeard e, agora, por Louis Gallois e Christian Streiff”, diz um sindicalista.

Os atrasos no programa de entregas do avião Airbus A380 mergulharam a Airbus numa forte crise e fez já rolar várias cabeças na construtora e na casa-mãe EADS. O primeiro A380 deve ser entregue só no final de 2007, quase dois anos depois do inicialmente previsto.