Última hora

Última hora

Casa Branca contesta estudo que fala em 650 mil mortos no Iraque desde 2003

Em leitura:

Casa Branca contesta estudo que fala em 650 mil mortos no Iraque desde 2003

Tamanho do texto Aa Aa

Quantas pessoas morreram na guerra do Iraque?
A resposta a esta pergunta está a ser objecto de controvérsia. A Casa Branca contesta os resultados de um estudo americano que cifra em mais de 650 mil o número de vítimas iraquianas. Os números apresentados recentemente pelo próprio presidente dos Estados Unidos são muito inferiores. George W. Bush fala em 30 mil vítimas do conflito no Iraque desde 2003.
Em conferência de imprensa, no Pentágono, o general George Casey afirmou que os números do estudo são exagerados.
“650 mil está muito além dos números que tenho visto. Nunca vi números superiores a 50 mil. Não acho o estudo muito credível”, disse o responsável militar.

A investigação foi realizada por médicos da Universidade Johns Hopkins, em colaboração com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts e uma escola médica de Bagade e baseia-se no método da amostragem. Foram inquiridas doze mil pessoas.
O autor do estudo, Gilbert Burnham, sustenta que o método é fiável.

“Confiamos nos nossos dados. Usámos métodos já testados. Não foram coisas inventadas, são procedimentos conhecidos. Muitos deles foram desenvolvidos com apoio financeiro e técnico do governo dos Estados Unidos”, afirmou o investigador.
O ministério da Saúde rraquiano fala em 128 mil civis vítimas mortais da guerra mas o autor do estudo alega que o sistema de recolha de informação do país é deficiente.