Última hora

Última hora

Partido de extrema-direita atacado por militantes de esquerda

Em leitura:

Partido de extrema-direita atacado por militantes de esquerda

Tamanho do texto Aa Aa

Maus ventos políticos sopram da Suécia. Em plena crise governamental, uma semana apenas após a tomada de posse do novo executivo, a sede dos Suecos Democratas, um pequeno partido de extrema-direita, foi atacada por três dezenas de militantes de esquerda. O episódio ocorreu em plena reunião partidária, em Sloev, no sul do país. O secretário Bjoern Soeder sofreu ferimentos ligeiros. Ninguém foi detido.

Este ataque acontece um dia depois do primeiro-ministro Fredrik Reinfelt ter anunciado a demissão da ministra do Comércio, Maria Borelius, durante uma transmissão radiofónica. A ministra renunciou ao lugar depois da imprensa ter divulgado várias irregularidades como a contratação de amas sem declarar às finanças e à Segurança Social, fuga ao pagamento da taxa de televisão e omissão de informações ao fisco sobre a venda de acções. Mais, a ministra terá também comprado a sua casa de férias através de uma empresa sediada num paraíso fiscal, escapando desse modo aos impostos imobiliários.

Mas o primeiro escândalo a rebentar foi o da revelação que a ministra da Cultura, Cecilia Stego Chilo, com o pelouro da televisão, não tinha também pago a taxa audiovisual durante 16 anos.

A coligação governamental começou da pior maneira aquela que é o primeiro executivo de centro direita após 12 anos de poder social-democrata.