Última hora

Última hora

Coreia do Norte comemora "União Abaixo o Imperialismo" sob fundo de crise internacional

Em leitura:

Coreia do Norte comemora "União Abaixo o Imperialismo" sob fundo de crise internacional

Tamanho do texto Aa Aa

O crescente isolamento da Coreia do Norte da comunidade internacional parece não afectar os norte-coreanos que celebram esta terça-feira os 80 anos da fundação da União Abaixo o Imperialismo. Milhares de crianças e adultos participam nas comemorações deste dia. A União Abaixo o Imperialismo foi fundada em 1926 por Kim-Il Sung, o falecido fundador da Coreia do Norte e pai do actual líder norte-coreano Kim Jong-Il, para combater o imperialismo japonês.

A Coreia do Norte considerou a resolução adoptada sábado pelo Conselho de Segurança da ONU uma “declaração de guerra”.

Para o enviado especial norte-americano para a Coreia do Norte, Christopher Hill, “um segundo teste nuclear de Pyongyang seria um resposta extremamente beligerante à comunidade internacional, que não teria outra hipótese que a de responder de forma muito clara ao regime de Kim Jong-Il.”

No entanto, a Rússia mostra-se confiante. O primeiro-ministro Mikhail Fradkov afirmou mesmo ser pouco provável que a Coreia do Norte realize um segundo teste nuclear.

Hill, que é o chefe da delegação norte-americana às conversações a seis – as duas Coreias, EUA, China, Japão e Rússia – sobre o programa nuclear norte-coreano, deverá juntar-se na Ásia à secretária de Estado Condoleezza Rice, que se prepara para visitar esta semana o Japão, Coreia do Sul e China.

Os dois responsáveis norte-americanos pretendem discutir com os seus interlocutores japoneses, sul-coreanos e chineses a aplicação da resolução do Conselho de Segurança da ONU, que impõe sanções económicas e comerciais à Coreia do Norte e exige que Pyongyang se abstenha de qualquer novo teste nuclear.

O texto prevê um embargo sobre armas e materiais a elas ligados, materiais ligados a tecnologia nuclear ou à de mísseis, bem como a produtos de luxo.