Última hora

Última hora

Budapeste comemora meio século da revolução

Em leitura:

Budapeste comemora meio século da revolução

Tamanho do texto Aa Aa

As comemorações dos 50 anos da revolução húngara começaram este domingo em Budapeste em clima de crispação política. Os conservadores da oposição vão boicotar as cerimónias oficiais enquanto continuam apedir a demissão do primeiro ministro Ferenc Gyurcsany. A insurreição anti-soviética de 1956 de há meio século vai ser assinalada por duas cerimónias distintas.

Uma oficial, que vai reunir chefes de Estado na praça dos heróis da capital enquanto uma segunda junta antigos combatentes da liberdade com as forças da oposição perto das intalações da Rádio Nacional. O Governo Húngaro convidou mais de 50 delegações estrangeiras de 46 países para os dois dias de festejos.

Entre os convidados estão os líderes dos parceiros europeus da Hungria na União Europeia, bem como o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e ainda alguns representantes das casas reais europeias como o Rei Juan Carlos.

O presidente Húngaro Lazlo Solyom apelou este domingo à União Nacional para tentar apaziguar as divisões internas surgidas depois da publicação de declarações polémicas por parte do chefe de governo socialista.