Última hora

Última hora

Preço do petróleo desce apesar de corte da OPEP

Em leitura:

Preço do petróleo desce apesar de corte da OPEP

Tamanho do texto Aa Aa

A cotação do petróleo começou a semana a perder cerca de 1%, mesmo depois do maior exportador mundial, a Arábia Saudita, ter confirmado que iria reduzir as entregas em Novembro, depois do corte de produção, de 1,2 milhões de barris por dia, anunciado pla OPEP.

O barril de Brent do Mar do Norte, cotado em Londres, e o WTI norte-americano estão ambos abaixo da marca dos 59 dólares. A cotação do Brent atingiu um máxiomo histórico em Agosto, a 78,5 dólares, mas desde essa altutra tem vindo a caír a pique e desceu já cerca de um quarto.

Os investidores mantêm algum cepticismo em relação à capacidade da OPEP de reduzir a capacidade real de produção. Na próxima reunião, marcada para Abuja, na Nigéria, o cartel pode reduzir o actual limite, que é de 28 milhões de barris por dia.

Edmund Daukoru é o ministro nigeriano do petróleo:
“A actual produção excedentária ronda um milhão de barris por dia e talvez aumente para os dois milhões no segundo trimestre do próximo ano, o que não faz qualquer sentido. Estamos prontos para dar ao mercado todo o petróleo de que precisa para as refinarias, mas o excedente actual é demasiado elevado”, referiu.

O corte na produção que foi decidido no final da semana passada incide sobre a produção real e não sobre as quotas. Obriga o conjunto de países da chamada OPEP-10, ou seja, todos os países membros excluindo o Iraque, a reduzir a produção de forma a que o total não exceda os 26,3 milhões.
É uma decisão que, para já, continua sem convencer os mercados.