Última hora

Última hora

Esquerda pede explicações a Berlusconi sobre acesso ilegal a dados fiscais

Em leitura:

Esquerda pede explicações a Berlusconi sobre acesso ilegal a dados fiscais

Tamanho do texto Aa Aa

O espectro da espionagem regressa a Itália com a descoberta de que os dados fiscais e patrimoniais de Romano Prodi e da mulher, Flavia Franzoni, foram consultados ilegalmente durante dois anos. O acesso indevido à base de dados da administração fiscal atingiu um pico entre 30 de Março e 8 de Abril de 2006, precisamente uma semana antes das eleições que deram a vitória ao ex-presidente da Comissão Europeia.

O líder do principal partido da coligação de esquerda que governa a Itália, Piero Fassino, aponta o dedo ao governo anterior. “Creio que Berlusconi e Tremonti – já que o caso envolve organismos de Estado que estavam sob sua responsabilidade – devem esclarecer o assunto diante do parlamento do país” disse Fassino.

As autoridades realizaram esta quinta-feira 128 buscas às casas e escritórios dos suspeitos, um pouco por toda a Itália. Gianfranco Fini, líder da Aliança Nacional e aliado de Berlusconi nega que o caso tenha motivações políticas.

“Não vamos falar de razões ocultas. Aqueles que prezam a democracia devem interrogar-se sobre o que o se passa. Os responsáveis devem ser punidos de forma exemplar. Sobretudo é preciso pensar no que fazer para evitar que estas atitudes se repitam no futuro” defendeu Fini.

Ao mesmo tempo que a família de Prodi, terão sido espiados vários altos responsáveis do Estado Italiano, personalidades do mundo do espectáculo e do desporto.

Em Setembro, a Itália já tinha sido abalada por um escândalo similar, com a descoberta de um vasto sistema de escutas telefónicas clandestinas.