Última hora

Última hora

Esquerda italiana indignada com acesso ilegal a dados fiscais de Prodi

Em leitura:

Esquerda italiana indignada com acesso ilegal a dados fiscais de Prodi

Tamanho do texto Aa Aa

A revelação de que os dados fiscais do chefe de governo Italiano foram consultados ilegalmente suscitou a indignação da esquerda que fala em “poderes ocultos” e corrupção. Na sua primeira declaração pública Romano Prodi foi prudente: “Não faço comentários. A gravidade do caso é largamente ilustrada pelos factos. Os magistrados seguem o caso e irão esclarecê-lo cabalmente”, afirmou Prodi.

O acesso indevido à base de dados da administração fiscal atingiu um pico entre 30 de Março e 8 de Abril de 2006, precisamente uma semana antes das eleições. Além da família Prodi terão sido espiados vários altos responsáveis do Estado Italiano, personalidades do mundo do espectáculo e do desporto.

Os aliados de Prodi falam de “Watergate italiano” e exigem responsabilidades ao governo anterior. Mas Berlusconi diz que as consultas ilegais não têm motivações políicas e resultam da curiosidade de funcionários em relação às figuras públicas já que ele e os filhos também foram espionados.

A Procuradoria de Milão fez esta semana buscas em 128 domicilios e escritórios. As suspeitas recaem sobre a Guarda Financeira italiana. Numa entrevista radiofónica, o líder do maior partido de esquerda apelou à reforma dos serviços secretos que também estiveram no centro de vários escândalos.