Última hora

Última hora

Referendo à nova constituição que inclui o Kosovo no território do país

Em leitura:

Referendo à nova constituição que inclui o Kosovo no território do país

Tamanho do texto Aa Aa

6 Milhões e 600 mil sérvios são chamados este fim-de-semana às urnas para votarem no referendo à nova constituição que declara a província do Kosovo parte integrante da Sérvia. Os analistas vêem esta iniciativa como uma forma de Belgrado tentar frustrar uma quase certa independência do Kosovo.

Depois de votar, o primeiro-ministro Vojislav Kostunica, declarou que “a nova constituição é a forma da Sérvia proteger a integridade territorial desenvolver e fortalecer as instituições democráticas para que todos os cidadãos, independentemente da religião ou nacionalidade se sintam em casa”. O presidente Boris Tadic, estimou que caso o texto fundamental não seja aprovado a Sérvia irá entrar num período de profunda “incerteza”.

Depois de ter perdido o acesso ao mar com a independência do Montenegro e prestes a perder o Kosovo, berço da cultura sérvia, Belgrado vai substituir a constituição promulgada em 1990, durante o governo autoritário do falecido Slobodan Milosevic. Nas cinzas da antiga Jugoslávia, a nova Carta Magna declara, pela primeira vez desde 1918, a Sérvia como país independente.

Aprovada por unanimidade pelo parlamento em Setembro, a constituição é criticada por alguns peritos por insuficiências em termos de justiça, autonomia local e direitos do Homem. Em Gracanica, um feudo sérvio, a sul de Pristina , os populares recordam que o Kosovo foi sempre sérvio.

A maioria albanesa do Kosovo não vai votar como acontece em todos os actos eleitorais desde 1990, na província administrada pela ONU. Para aprovar a constituição, a taxa de participação no referendo tem de ser superior a 50%. As urnas encerram este domingo.