Última hora

Última hora

Maioria dos britânicos exige retirada das tropas do Iraque

Em leitura:

Maioria dos britânicos exige retirada das tropas do Iraque

Tamanho do texto Aa Aa

A guerra no Iraque é o ponto central na queda de popularidade do primeiro-ministro Tony Blair e a oposição à participação britânica no conflito é cada vez maior.

Segundo as sondagens do The Guardian e do The Independent, entre 61 e 71% dos britânicos querem a retirada das tropas até final do ano, mesmo contra a vontade americana. Quarenta e cinco por cento exigem mesmo o regresso imediato.

Apesar dos estudos de opinião, Downing Street insiste em não fixar um calendário de saída, preferindo evocar uma possível redução de efectivos até meados de 2007.

A Grã-Bretanha têm no Iraque cerca de sete mil soldados, e desde 2003, sofreu 120 baixas.

A opinião pública não aceita as perdas humanas, mesmo se reduzidas face ao balanço americano – que ultrapassa já os 2800 marines mortos -, e contesta a aliança do chefe de governo britânico com o presidente americano. O dossiê iraquiano acaba por ser a grande sombra sobre as cabeças de ambos.

Em Maio, Blair e Bush reconheceram, implicitamente, os erros cometidos no Iraque, embora logo depois tenham dito que fizeram o que deviam.

A questão já foi alvo de inquéritos em Londres. Um deles, o relatório de Lord Butler, em 2004, acabou por ser um primeiro revés para Blair. O inquérito aponta os erros cometidos pelos serviços secretos sobre a existência de armas proibidas no Iraque, o argumento falso usado para justificar a ofensiva militar.

Os britânicos não vêem também com bons olhos a tensão no terreno. As tropas britânicas estão estacionadas, sobretudo, no sul do Iraque, uma região mais tranquila que o terreno dos militares americanos, mas enfrentam a forte contestação da população xiita.