Última hora

Última hora

Operação do Tsahal na Faixa de Gaza mata seis palestinianos

Em leitura:

Operação do Tsahal na Faixa de Gaza mata seis palestinianos

Tamanho do texto Aa Aa

O exército israelita lançou esta madrugada uma operação militar no Norte da Faixa de Gaza. A localidade de Beit Hanun está cercada por dezenas de tanques e blindados e os confrontos entre soldados do Tsahal e militantes palestinianos fizeram pelo menos seis mortos e mais de quarenta feridos. No Tsahal, está confirmada uma baixa.

A operação tem como objectivo pressionar as diferentes facções palestinianas e evitar o lançamento de foguetes Kassam sobre o sul de Israel.

Porém, a ofensiva ameaça minar as negociações, mediadas pelo Egipto, que podem resultar na libertação do cabo Gilad Shalit em troca de prisioneiros palestinianos.

De resto, o Tsahal tem ordem para se preparar para uma eventual operação de maior envergadura, de momento descartada.

O ministro israelita da Defesa Amir Peretz acha que “a resolução do caso Shalit será um progresso capaz de fazer retomar negociações como todos querem”, por isso, estima que “as operações militares em curso são necessárias.”

Do lado palestiniano, o presidente Mahmud Abbas considera a operação um “massacre” e apelou à intervenção da comunidade internacional.

Já o primeiro-ministro Ismail Hanyieh sustenta que “a escalada de violência israelita destina-se a minar a experiência democrática palestiniana e reflecte a futura política de agressão preconizada pelo novo aliado do governo Avigdor Liebermann.”

Avigdor Liebermann, o líder do Ysrael Beitenu, de extrema-direita, integrou o governo na semana passada como vice-primeiro-ministro com a pasta dos Assuntos Estratégicos.

Hoje, terá recomendado ao Tsahal a adopção do modelo utilizado pelas forças russas na Chechénia para lidar com a questão palestiniana.
Ante as críticas, desmentiu o comentário.