Última hora

Prodi "angustiado" com a vaga de criminalidade em Nápoles

Em leitura:

Prodi "angustiado" com a vaga de criminalidade em Nápoles

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro transalpino reuniu-se em Nápoles com as autoridades locais para discutir um plano de luta contra o crime organizado depois do recrudescimento dos homicídios na região. No final, Prodi expressou a sua preocupação com o fenómeno, afirmando estar “angustiado” com a situação, e anunciou que o executivo apresenta dentro de um mês, um plano de acção contra a criminalidade.

Nos últimos 10 dias, 12 pessoas morreram em crimes cometidos pela máfia local. Desde o início do ano, 75 pessoas foram assassinadas e registaram-se 8500 raptos.

O governo abandonou por hora a ideia de mandar o Exército para a cidade ou de declarar o estado de emergência.

O Ministério do Interior confirmou, por outro lado, o envio de 1.000 efectivos da polícia para Nápoles a partir de 09 de Novembro.

O primeiro-ministro defendeu que não veio a Nápoles só por causa dos 7 homicídios nos últimos 5 dias, que são “um problema gravíssimo”, mas apenas um aspecto de um “fenómeno muito mais generalizado que coloca em perigo toda a sociedade do Sul de Itália”.

A polícia transalpina atribui a violência a uma guerra entre diferentes grupos mafiosos.

Esta semana as autoridades anunciaram a detenção de sete alegados membros da Camorra, suspeitos de fazerem parte do clã dos Misso, uma família que controla uma parte do centro Histórico de Nápoles.

Na última noite mais uma pessoa foi esfaqueada na cidade do Sul de Itália encontrando-se em estado grave.