Última hora

Última hora

Eleições no Tajiquistão sob suspeita

Em leitura:

Eleições no Tajiquistão sob suspeita

Tamanho do texto Aa Aa

O Tajiquistão vota hoje em eleições presidenciais sem previsão de grandes alterações no panorama político do país. Num escrutínio que conta com a presença de observadores internacionais, tudo indica que o actual presidente, Imomali Rakhmonov, deve renovar o mandato de sete anos. A confirmar-se, esta é a terceira vez consecutiva que ganha a presidência.

A mensagem que Rakhmonov quis passar hoje é de que vota “pela paz e prosperidade” do país e conta com a “boa vontade dos cidadãos”. No entanto, as palavras conciliadoras não convencem os observadores ocidentais e a oposição que acreditam que a ex-república soviética nunca levou a cabo um escrutínio livre e isento.

O chefe de Estado venceu as últimas presidenciais em 1999 com 96,4% dos votos e sobre ele recaem suspeitas de não respeitar os direitos humanos. Dois terços da população vivem abaixo do limiar de pobreza.