Última hora

Última hora

Demissão de Rumsfeld aceite e cooperação forçada com democratas

Em leitura:

Demissão de Rumsfeld aceite e cooperação forçada com democratas

Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos foram a votos e as consequências já se sentem. George W. Bush anunciou ter aceitado a demissão do secretário da Defesa, Donald Rumsfeld, deu indicações de querer trabalhar com as outras forças políticas e assumiu responsabilidade na derrota republicana.

“Estou obviamente desapontado com os resultados das eleições e, como líder do Partido Republicano, partilho uma grande parte das responsabilidades. Disse ao meu partido que é agora altura de colocar as eleições para trás e trabalhar com democratas e independentes nas grandes questões que se colocam perante este país”, preferiu Bush no seu discurso da derrota.

Seis anos depois, o braço direito do presidente dos Estados Unidos sai da Defesa deixando a guerra no Iraque por resolver.

Para o substituir, Bush nomeou Robert Michael Gates, um antigo director da CIA, agência secreta norte-americana, na altura da presidência do pai de George W. Bush.

Gates é director de uma universidade do Texas e membro da comissão independente de estudos sobre o Iraque.

Esta foi a sua primeira reacção à nomeação presidencial: “os Estados Unidos estão em guerra no Iraque e no Afeganistão. Estamos a lutar contra o terrorismo à escala global e enfrentamos desafios sérios para a nossa paz e segurança. Acredito que o resultado destes conflitos vai mudar o mundo nas próximas décadas”.

Rumsfeld vai manter-se como secretário da Defesa até o Senado aceitar a nomeação de Bush.