Última hora

Última hora

Risco de atentados confina Gay Pride de Jerusalém a um estádio

Em leitura:

Risco de atentados confina Gay Pride de Jerusalém a um estádio

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de quatro mil pessoas participaram esta sexta-feira na 5ª marcha do Orgulho Gay de Jerusalém. Inicialmente prevista para as ruas da cidade, a Gay Pride acabou por realizar-se no estádio da Universidade Hebraica de Givat Ram. A reunião teve um formato diferente pelo facto da Cidade Santa se encontrar em estado de alerta, devido ao risco de atentados. As autoridades tinham previsto destacar nove mil polícias para garantirem a segurança da marcha, mas apenas três mil puderam ser mobilizados.

Por este motivo e com o acordo das associações de gays e lésbicas de Jerusalém, a manifestação foi deslocada para o estádio. No entanto, os protestos e distúrbios originados nos últimos dias por judeus ultra-ortodoxos não terão sido alheios à decisão. Aliás, as autoridades chegaram mesmo a aconselhar aos manifestantes alguma contenção na escolha das indumentárias.

Entretanto, num parque de Jerusalém, a polícia deteve cerca de três dezenas de activistas dos direitos dos homossexuais, que quiseram contornar a proibição de desfilar nas ruas da cidade.

As forças de segurança tiveram de intervir para evitar o pior, quando activistas gays se confrontaram com manifestantes ultra-ortodoxos.