Última hora

Última hora

Hartz enfrenta 44 acusações em escândalo de dinheiro e mulheres

Em leitura:

Hartz enfrenta 44 acusações em escândalo de dinheiro e mulheres

Tamanho do texto Aa Aa

O antigo director de recursos humanos da Volkswagen, Peter Hartz, foi formalmente acusado de 44 crimes de abuso de confiança. Os crimes, de que o gestor se vai agora defender, referem-se a um escândalo que chocou a Alemanha, que envolve dinheiro e mulheres.

Hartz terá dado o aval para o pagamento de elevadas somas, além de viagens e orgias com prostitutas a membros da comissão de trabalhadores, para fazer os representantes dos sindicatos ter uma posição mais suave em relação à administração. Joachim Geyer, porta-voz da procuradoria, diz que “a principal acusação é a de desvio de capitais. Os membros da comissão de trabalhadores terão beneficiado deste desvio. Há provas disso e estamos convencidos de que isso aconteceu mesmo”.

Klaus Volkert, presidente da CT, terá recebido quase dois mil milhões de euros em luvas. A modelo brasileira Adriana Barros, com quem mantinha uma relação, terá recebido 400 mil euros para organizar festas. Hartz ficou famoso por ser o autor do pacote laboral aprovado pelo governo de Gerhard Schröder.