Última hora

Última hora

Tchechenos acusam italiano de ter envenenado antigo espião do FSB, ex-KGB

Em leitura:

Tchechenos acusam italiano de ter envenenado antigo espião do FSB, ex-KGB

Tamanho do texto Aa Aa

As notícias sobre a alegada tentativa de envenenamento em Londres de um antigo espião dos serviços secretos russos estão a revelar dados dignos de um filme de espionagem da guerra fria. Alexandre Litvinenko, de 43 anos terá sido envenenado e encontra-se entra a vida e a morte num hospital da capital britânica . Foi tenente-coronel do FSB, o antigo KGB. Segundo a versão do próprio, encontrou-se com alguém que lhe terá dado uma lista de nomes de oficiais do FSB alegadamente implicados na morte da jornalista russa Anna Politovskaia.

Esta é a primeira versão da história. A segunda versão surge na agência tchechena Kavkaz, pro-separatista. O porta-voz do governo tchecheno, no exilio, Akhmed Zakayev, considera que esta é mais uma prova do terrorismo de Estado praticado na Rússia.

Segundo a Kavkaz, a pessoa que se encontrou com Litvinenko era italiano, conselheiro da comissão de inquérito parlamentar que investiga a actvidade do antigo KGB em Itália. Segundo a agência Chechenpress o homem em questão, Mario Scaramella, é também amigo íntimo de Kolmogorov, vice-director do FSB, antigo KGB.

De acordo com a versão do próprio Litvinenko, o encontro com a pessoa que o terá envenenado decorreu num bar no coração de Londres, em Picadilly. O antigo espião russo estaria a investigar a morte da jornalista Anna Politovskaya, feroz contestatária do presidente Vladimir Putin.