Última hora

Última hora

Ultranacionanista sérvio Seselj faltou ao julgamento em Haia

Em leitura:

Ultranacionanista sérvio Seselj faltou ao julgamento em Haia

Tamanho do texto Aa Aa

O líder ultranacionalista sérvio, Vojislav Seselj, considerado como um dos principais responsáveis pelo estalar da guerra dos Balcãs, recusou-se a comparecer em Tribunal. Seselj, de 52 anos, é acusado de perseguição, extermínio, assassínio e tortura de croatas, muçulmanos e outros cidadãos não sérvios.

O primeiro político a usar em público a expressão “purificação étnica” com o objectivo de criar uma “Grande Sérvia” é ainda acusado de ter colaborado com o antigo presidente jugoslavo Slobodan Milosevic noutros crimes. Seselj entregou-se ao Tribunal das Nações Unidas em Haia (TPIY) há quatro anos, tem criado todo o tipo de obstáculos ao exercício da justiça, há dois meses entrou em greve de fome para exigir o direito exclusivo de se defender sem advogado. O Tribunal alertou Seselj antes da audiência que caso não se apresentasse em julgamento perderia de vez o direito de se defender sozinho.