Última hora

Última hora

Desemprego alemão em queda

Em leitura:

Desemprego alemão em queda

Tamanho do texto Aa Aa

O desemprego, na Alemanha, caíu pela primeira vez em quatro anos abaixo do valor simbólico de quatro milhões. As autoridades alemãs dizem agora que o pior já passou, em termos de situação do mercado de trabalho, depois de no início do ano o desemprego ter atingido mais de cinco milhões de alemães, um máximo do pós-guerra. Depois desse pico, houve uma clara melhoria da suituação, com o número de desempregados a caír para os 4,4 milhões em Junho, e com uma nova descida na segunda metade do ano.

É uma vitória para o governo de coligação CDU-SPD. O ministro do Emprego, Franz Muenterfering, diz que são resultados excepcionais. Os cinco milhões de desempregados foram um dos factores que afectaram a popularidade do governo anterior e obrigaram a eleições antecipadas.

Os números chegam na mesma altura em que Angela Merkel cumpre um ano à frente da chancelaria. Embora o actual governo tenha os louros desta quebra no desemprego, a verdade é que as reformas que a permitiram foram começadas durante o mandato do executivo de Gerhard Schroeder.

As temperaturas, amenas para a época, ajudaram a impulsionar os trabalhos ao ar livre, nomeadamente a construção civil. A competitividade da indústria alemã esteve a subir. Várias empresas queixam-se mesmo de uma escassez de mão-de-obra especializada. A taxa de desemprego, em termos brutos, caíu de 9,8% para 9,6%.