Última hora

Última hora

Arquivos dos SSB abertos ao público

Em leitura:

Arquivos dos SSB abertos ao público

Tamanho do texto Aa Aa

A poucas semanas de entrar para a União Europeia a Bulgária aprova no Parlamento a abertura dos arquivos dos Serviços Secretos da era comunista. Dezassete anos depois do fim do comunismo o mundo poderá, enfim, saber até que ponto os agentes búlgaros estiveram implicados em casos como, por exemplo, o atentado ao Papa João Paulo II, em Roma, em 1981 e outros mistérios do tempo da guerra fria.

Graças à abertura desses dossiês, os investigadores poderão deslindar os alegados contactos entre o autor do atentado do Papa, Memet Ali Agça, e os serviços secretos búlgaros. Mesmo que até aos dias de hoje não se tenha conseguido provar a susposta participação dos espiões búlgaros no atentado, o mito permanece.

Outra caso mistério a envolver a imagem dos Serviços de Informação búlgaros é a morte do jornalista e escritor Georgui Markov, envenenado em Londres em 1978, como uma intrigante ponta de guarda-chuva. Um caso que ficou para a hostória como “o guarda-chuva belga”. A investigação sobre este crime, logo após a queda do comunismo, revelou o desaparecimento do dossiê. E na véspera do julgamento dos suspeitos um deles, ex-vice ministro do Interior, suicidou-se. O país revela assim os seus segredos, mas não todos. A lei aprovada permite apenas uma abertura parcial dos arquivos apesar da manifestação de jornalistas e personalidades políticas para uma abertura total.