Última hora

Última hora

Sexto dia consecutivo de pressão sobre o governo libanês

Em leitura:

Sexto dia consecutivo de pressão sobre o governo libanês

Tamanho do texto Aa Aa

As forças da oposição lideradas pelos dois partidos xiitas pró-sirios, Hezbollah e Amal, mantém-se sitiadas no centro de Beirute para obrigar o primeiro-ministro, Fouad Siniora, a demitir-se tendo em vista a criação de um governo de União Nacional. Apoiados pela Síria e pelo Irão os líderes xiitas libaneses juraram não arredar pé enquanto o executivo anti-sírio não ceder.

Sobre o país paira de novo a ameaça de guerra civil apesar do esforço da comunidade internacional e da Liga Árabe para resolver o conflito. Os sunitas sairam em apoio do chefe do governo. Ontem centenas de apoiantes de Fouad Siniora entraram na sede do governo para encorajar o primeiro-ministro.

No exterior, a cerca de uma centena de metros do Parlamento, a tensão mantém-se ao rubro. Milhares de manifestantes pró-sírios dormiram pela quinta noite em tendas improvisadas, hoje devem contar com o apoio de vários organismos sindicais convidados pelo Hezbollah a juntar-se aos protestos. A Confederação geral dos trabalhadores do Líabano, a mais poderosa estutura sindical do país, é controlada pelos partidos da oposição, deverá estar presente na mega-manifestação convocada para esta terça-feira.