Última hora

Última hora

Polónia celebra 25 anos da Lei Marcial que desencadeou depois a democracia

Em leitura:

Polónia celebra 25 anos da Lei Marcial que desencadeou depois a democracia

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente polaco Lech Kaczynski depôs uma coroa de flores no monumento do Solidariedade em homenagem ao movimento da Liberdade que desencadeou no país e que levou à democracia há 25 anos atrás. O aniversário foi tão sentido pelos polacos que milhares de pessoas se vestiram com os uniformes de há um quarto de século e acenderam velas em frente à sede do Sindicato mais famoso do mundo, que tanto pressionou pelas reformas económicas e pela democracia que o primeiro-ministro declarou a lei marcial – o que, mais tarde considerou um erro.

No famoso discurso de 13 de Dezembro de 1981, o general Wojciech Jaruzelski punha fim às actividades do sindicato que tinha quase 10 milhões de membros, 16 meses depois da sua criação durante a greve dos estaleiros navais em Gdansk, em meados de 1980. A Polónia comunista pretendia reduzir ao silêncio o movimento Solidariedade, por este desafiar pacificamente todo o bloco soviético, mas este último gesto de força na Europa central não impediu a queda de todo o império oito anos mais tarde.