Última hora

Última hora

Polícia de Ipswich pede a prostitutas que evitem as ruas

Em leitura:

Polícia de Ipswich pede a prostitutas que evitem as ruas

Tamanho do texto Aa Aa

A braços com cinco cadáveres e sem pistas para desvendar o mistério, a polícia do Sufolk no Sudeste de Inglaterra, tenta evitar mais mortes apelando às prostitutas que se mantenham longe das ruas. Um conselho dificil de seguir pelas mulheres que precisam de ganhar a vida, particularmente nesta época de Natal. Num período de 10 dias, a região de Ipswich descobriu o horror da morte de cinco jovens: Gemma Adams, Tania Nicol, Anneli Alderton, cujos corpos já foram identificados; Annette Nicholls e Paula Clennell, cuja identificação não foi formalmente estabelecida.

Clennell desapareceu no sábado passado. Lou foi a última a vê-la com vida: “Falei com ela no sábado à noite, viémos trabalhar juntas, os nossos clientes chegaram ao mesmo tempo, por isso, nenhuma de nós pôde notar a placa de matrícula do carro da outra”, afirma. A polícia encontrou já muitas semelhanças nos cinco casos, todas as raparigas foram encontradas nuas mas os corpos das duas últimas vítimas não foram encontrados na cena do crime. O medo e a apreensão cresce em Ipswich com a revelação que quase todas eram jovens cuja vida quotidiana não levantava suspeitas de se dedicarem à prostituição. Na origem da actividade estaria a dependência de drogas duras.