Última hora

Última hora

Ataques sucessivos a multinacionais petrolíferas na Nigéria

Em leitura:

Ataques sucessivos a multinacionais petrolíferas na Nigéria

Tamanho do texto Aa Aa

Os interesses petrolíferos internacionais no sul da Nigéria estão cada vez mais ameaçados.

Pelo menos três polícias morreram num ataque de quarta para quinta-feira contra as casas dos funcionários do grupo petrolífero francês Total, em Obagi, no sul da Nigéria.

Também as instalações da companhia italiana Agip foram atacadas. E a direcção da anglo-holandesa Shell anunciou a deslocação de 400 pessoas, funcionários e famílias, para locais seguros, depois da explosão de uma bomba no parque de estacionamento do complexo residencial da região.

Segundo o porta-voz da Total, 12 homens armados e encapuzados atacaram a estrutura por volta das três e meia da manhã, hora local. Um responsável industrial afirmou à AFP que os indivíduos chegaram à companhia a bordo de pequenos barcos a motor.

As instalações petrolíferas no sul da Nigéria tem sido alvo de ataques constantes no decorrer deste ano. Normalmente, são reivindicados pelo grupo separatista Movimento para a Emancipação do Delta do Níger. Mas, curiosamente, em relação à Total, não é esse o caso. Os extremistas recusam a autoria do ataque. Um responsável industrial assegura que o ataque não teve caracter político. Desta vez ter-se-á tratado de um caso de banditismo.