Última hora

Última hora

Morte de Wellby divide Itália

Em leitura:

Morte de Wellby divide Itália

Tamanho do texto Aa Aa

O corpo de Piergiorgio Walby vai ser autopsiado esta sexta-feira. A história do italiano, cujo sistema de respiração assistida foi ontem desligada, está a dividir a Itália, país onde a eutanásia é punida com uma pena que pode ir até os 15 anos de prisão. Welby, que reclamava o doreito de morrer desde Setembro último e que na semana passada viu esse direito ser-lhe recusado em tribunal, acabou por morrer em casa com a colaboração de um anestesista.

Num país profundamente influenciado pela moral católica este caso teve a particularidade de mobilizar diferentes forças políticas no sentido de legislar sobre a polémica prática da eutanásia. Ignazio La Russa da Aliança Nacinal, de direita diz “que é necessário fixar de modo sério o limite entre a cura e o tratamento continuado”. “Eu penso nos Wellby que nós não conhecemos. E sinto-me ainda mais determinada a fazer tudo para que ninguém se sinta abandonado perante a doença”, declarou por seu turno a ministra da saúde Livia Turco.

Piergiorgino Wellby, que completaria 61 anos na próxima semana, sofria de um estado avançado de hipertrofia muscular. Faleceu rodeado por familiares depois do anestesista Mario Riccio lhe ter administrado um “cocktail” de sedativos e desligado a máquina que o mantinha a respirar.