Última hora

Última hora

Saddam Hussein executado no dia da festa santa sunita

Em leitura:

Saddam Hussein executado no dia da festa santa sunita

Tamanho do texto Aa Aa

Condenado por crimes contra a humanidade, Saddam Hussein foi executado esta manhã por enforcamento, eram seis horas e dez da manhã em Bagdade, menos três horas em Lisboa. As imagens foram divulgadas 8 horas depois pela televisão iraquiana. A execução foi realizada em Camp Justice, uma antiga base dos serviços de segurança de Saddam em Bagdade, na presença de 14 dignitários iraquianos. Saddam que se apresentou com um livro do Corão, recusou a venda negra, não mostrando qualquer sinal de arrependimento e com palavras críticas contra a actual coligação governamental curda e xiita.

Até à última hora os seus advogados de defesa espalhados pelo mundo tentaram interpor novos recursos à sentença de morte.

Horas depois da sua execução, a televisão iraquiana confirmava a notícia. Desde ontem que a iminência da aplicação da pena capital sido alvo de várias versões contraditórias.

A execução coincide com a festa dos mártires celebrada pelos sunitas conhecida como o feriado de Eid al-adha. Em pleno Hadj, as últimas palavras de Saddam foram uma preçe muçulmana.

O anúncio da sua morte foi festejado com tiros e celebrações do bairro xiita de Sadr City em Bagdade a Najaf em território curdo. Em Tikrit, a sua terra natal o ambiente é calmo. As autoridades decidiram prolongar durante todo o fim de semana o recolher obrigatório imposto desde a madrugada em várias cidades.

Saddam Hussein tinha sido condenado à pena capital em Novembro pelo assassínio de 148 xiitas como represália por um atentado falhado em 1982.

O ex-ditador deveria comparecer em tribunal no próximo dia 8 de Janeiro, no quadro de outro processo relativo à morte de milhares de curdos. Três anos após a sua captura pelo exército norte-americano num esconderijo em Tikrit, os familiares no exílio querem sepultá-lo no Iémen enquanto, afirmam, se prolongar a ocupação americana do Iraque.

A execução de outros dois co-réus no processo de Dujail – Barzan Ibrahim, meio-irmão de Saddam, e Haman Bander, antigo responsável do tribunal revolucionário iraquiano – foi adiada para os próximos dias. Segundo responsáveis iraquianos o objectivo do adiamento é de dar mais visibilidade à execução de Saddam Hussein.