Última hora

Última hora

Saddam Hussein enterrado na aldeia natal de Awja

Em leitura:

Saddam Hussein enterrado na aldeia natal de Awja

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto as imagens do antigo ditador morto continuam a correr mundo, o corpo de Saddam Hussein foi enterrado na sua aldeia natal, Awja, perto de Tikrit. Partilha assim a última morada com os filhos Uday e Qusay, mortos pelas forças norte-americanas em 2003.

A execução do ex-líder iraquiano teve lugar na madrugada de ontem numa antiga base dos serviços secretos do regime do ex-ditador em Bagdade, actualmente controlada pelo exército norte-americano. Os Estados Unidos saudaram rapidamente a morte de Saddam que, no entanto, não foi recebida com alegria no resto do Ocidente.

A União Europeia e as organizações de defesa dos direitos humanos condenaram a execução. A presidência finlandesa dos Vinte Cinco exprimiu dúvidas quanto à imparcialidade do tribunal que julgou o antigo ditador. Vários chefes de Governo europeus, como a chanceler alemã, mostraram opiniões contidas.

Angela Merkel lembrou que “Saddam foi executado depois de ter sido condenado por um tribunal iraquiano”. Disse que “respeitam a decisão” mas sublinhou que “o governo germânico se opõe à pena de morte”. Para muitos, a grande questão é agora qual o efeito que terá a morte do ex-ditador no desenvolvimento da situação em território iraquiano. Sir Harold Walker, antigo embaixador do Reino Unido no Iraque, espera que se entre “numa nova era, na qual o governo iraquiano seja capaz de avançar com o processo de reconciliação”. No entanto, diz que “não é fácil ser optimista”.

O governo italiano já tinha antes defendido que a execução só contribuiu para aumentar a tensão no Iraque.