Última hora

Última hora

A direita francesa desunida

Em leitura:

A direita francesa desunida

Tamanho do texto Aa Aa

A fractura na direita francesa acentua-se à medida que se aproximam as eleições presidenciais. O primeiro-ministro, Dominique de Villepin, revelou hoje que não votará em Nicolas Sarkozy, no Congresso do UMP, no dia 14 deste mês, altura em que deve ser oficialmente confirmado o candidato à presidência da república.

O presidente francês, Jacques Chirac, que termina o seu segundo mandato em Maio ainda não esclareceu se vai recandidatar-se ou não. Chirac prometeu pôr fim ao mistério durante o primeiro trismestre deste ano. Sem o cenário de Chirac na corrida uma sondagem publicada quarta-feira vaticina que a candidata socialista, Ségolène Royal, conquistará a presidência à segunda volta com 52 por cento dos votos contra 48 por cento para o favorito da direita, o actual ministro do Interior francês, Nicolas Sarkozy.Actualmente de visita à China, Royal prometeu reformar uma “França que não está bem”, defendendo um “exercício do poder simples, directo e autêntico”.

.